segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Livro "Alcaçuz e Anis" direto com o autor

Caros leitores, comprar livro direto da editora, que imprime por demanda, realmente pode ser uma tarefa incômoda.

Ofereço a vocês a possibilidade de adquiri-los diretamente comigo, o autor.

Basta enviar para o e-mail:

josejanuzzi@gmail.com

o seu endereço completo que retornarei com os dados para depósito.

São apenas R$ 25,21 o preço de capa do livro impresso para você recebê-lo em sua casa em qualquer lugar do Brasil.

Nesse Natal, dê livros de presente para quem você gosta.

Saudações!

José Januzzi

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Redes Sociais

Tenho usado mais as redes sociais para divulgar esse meu livro "Alcaçuz e Anis". Principalmente o Facebook e o Twitter.
Creio ter enviado o link de busca para as bibliotecas com as quais criei laços de amizade.
Um livro de poemas não é fácil.
São anos e anos de anotações e vivências e seleções e buscas e crivos e escolhas até se chegar a um número de poemas possível de vir a ser editado.
Feito isso:
agora é lutar por ele, mostrá-lo.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

2ª versão

Ao receber os exemplares do livro "Alcaçuz e Anis" modificados, fiquei feliz com o resultado.
Modifiquei o poema Tentação Maluca, como já divulgado aqui. Ficou melhor.
Inseri uma foto minha, que acompanha também meus relacionamentos sociais pela rede mundial de computadores. Também gostei, apesar de me parecer grande a foto na contra-capa.
Estou procurando aproveitar esses relacionamentos para divulgar melhor o livro, já que de outra maneira, com o livro físico, ainda encontro-me impossibilitado de fazê-lo.

Um exemplar especial

Somente ontem, dia 5 de setembro de 2011, tive a oportunidade de presentear minha primeira professora de literatura com um exemplar do meu livro "Alcaçuz e Anis".
Foi um prazer tê-lo feito. Não foi tarde como ela mesma disse, foi a hora certa.
Fiquei feliz. Ela também.
Uma linda cadelinha pequinês, ainda filhote, acompanhou-nos fazendo peraltices pela sala.
Conversamos um pouco, ela aposentou-se na cadeira de professora e agora ocupa parte de seu tempo como voluntária no terceiro setor. Ainda sente falta das aulas e por isso ocupa o tempo com outras tarefas.
Falamos sobre a possibilidade do segundo livro. Tudo a seu tempo. Chegará a hora.
Pode ser que nem sejam poemas, quem sabe.
Dediquei-lhe o livro com palavras doces, afinal ela foi quem me despertou o gosto pela palavra escrita.
Valeu. Despedi-me com um abraço. Teremos tempo para outros encontros.

domingo, 29 de maio de 2011

Tentação Maluca

Tentação Maluca

Não que te ache louca:
meio pirada apenas;
alegre demais.
Expansiva em abundância e ânsia.
Esbelta.
Apaixonante.
Mas, não me iludo,
nada espero.
Só o alumbramento.


Queridos amigos. Modifiquei o primeiro poema do livro "Alcaçuz e Anis", Tentação Maluca. Espero que aprovem.
As novas versões já sairão com o poema modificado e também com a foto do autor. Duas novidades.

A terceira novidade e talvez a melhor delas é que agora o livro também poderá ser adquirido pela Livraria Cultura.
O endereço é

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Vice e Versa

Perdi a tal concorrência.
As cachorrinhas ganharam o nome de Vice e Versa
e sigo com o meu rígido regime alimentar.

Ah! Estou lendo Saramago.

domingo, 27 de março de 2011

Check-up

Fiz exames de rotina semana passada.
O médico me proibiu isso isso e aquilo.
Mandou fazer mais exercícios.
E, para confirmar a consulta, receitou-me um comprimido diário
todas as noites ao deitar por seis meses.
Bebo água de beringela.
Penso em procurar outro analista.

Na noite de quinta perdi o lançamento do livro de um amigo.
Estava trabalhando, mergulhado num orçamento para o outro dia.
Entreguei o orçamento e voltei ao escritório
para encarar uma fila de operários em fúria branda.

Meu pai trouxe do sítio a cadela Bruna com três filhotes fêmeas.
Lindas.
Pressionados, eu e meu filho, doamos uma.
Sobraram duas, a cara da mãe, e ainda não decidimos seus nomes,
nem se elas ficarão.

A semana também foi marcada pela possibilidade
de minha esposa deixar de ser diretora de escola no meio do ano.
Confesso que não está sendo boa a experiência de ser marido de diretora.

domingo, 30 de janeiro de 2011

Paquera

Não existe ninguém solto no meu tempo.

Perdi meu espaço preso às minhas amarguras

e música alguma,

agora,

lembra o meu ouvido.

Paixões desfeitas distantes;

vai que não vai que é melhor que não ir,

presentes úteis

e um quê de procura a cada esquina.

Telefonista Triste

Fiz uma ode

em homenagem a ela,

e ela não gostou.

Não importa,

não ficou boa mesmo.

Antes tivesse feito um carinho.

E ela, talvez,

bem de mansinho,

teria me entregue o seu sorriso.

Baile de Gotas

Da poltrona da sala

de meu pequeno apartamento

vejo a chuva cair mansa.

No vidro fantasia da janela

gotas se formavam

e com seu próprio peso

punham-se em movimento

numa corrida frenética

e totalmente sem regras,

gota por gota,

cada uma por si

num bailado vertical sem ensaio.

Perda

Nenhum pássaro toca no meu trombone.

Já me fui alegre por vezes,

batuques, risos, requebros.

— Que belo par de ombros!

Ela se foi. Por quê?

Trombone mudo.

Notas falidas já não combinam sons.

Arranjos líricos. Ilúcidos.

Haverá outras intenções?

Sonhos, sonhos e sonhos;

toque de melancolia.

Sonharei por toda a vida.

Conseguirás acompanhar-me nos sonhos?

Consideremos o mistério como um elixir da vida.

Craques da Bola

Os deuses trocam gentilezas

frente ao grande público;

tentam passar gratidão,

fantasias particulares.

Muitos são iludidos.

Felizes, deslumbrados...

A verdade firma-se no horizonte,

e o engodo perde-se pela linha de fundo.

Alma Vazia

Vai, viola,

viola, os meus sentidos.

Vazia é minha alma,

vis são meus sonhos.

Ouço-te viola viva,

vivo-te vida voraz.

Violo meus sentimentos

vadiando com minha solidão.

Vibra, viola amiga,

vê se alegra

esse vazio coração.