domingo, 25 de novembro de 2012

A hora das louças

Chegou a hora das louças.
E bom quando chega a hora das louças.
Etapas foram cumpridas.
Tudo fica mais limpo.
Depois entram as cores.
A transformação se revela
e as chaves podem ser entregues.

Páginas abertas

Páginas abertas.
Preciso fazer o que puder.
Não posso decepcioná-la.
Bastam os percalços já vividos.
Páginas precisam ser fechadas.
Juntos conseguiremos.

Cinco sábados, domingos e segundas

As folhas não balançam nessa manhã de domingo.
A chuva da noite deixou o amanhecer bem agradável.
E novembro.
O fim de ano que se aproxima faz a cidade mais agitada.
Dezembro terá cinco sábados.
Dezembro terá cinco domingos.
Dezembro terá cinco segundas-feiras.
Isso acontece somente a cada tantos anos.
Dizem ser mês para se ganhar mais dinheiro.
Prefiro pensar nos cinco finais de semana.

Alcaçuz e Anis - Hora de trocar de roupa

Há alguns meses decidi trocar a capa do meu livro de poemas "Alcaçuz e Anis".
Tentarei trocar a exatidão rígida das pedras com a instabilidade mórbida da areia por algo mais suave, mais romântico, mais sensível.
Precisarei de ajuda.
A editora fará os tipos para aprovação depois que eu der o de acordo financeiro.
Sim, isso mesmo, somente depois de paga a capa começará a tomar outra forma, ou outras. Até que seria legal, pensei com meus botões, fazer mais de um tipo de capa. Já que a impressão é por demanda e o leitor é que faz o pedido, uma alternativa seria também ele mesmo escolher qual capa iria querer no seu livro. Gostei disso, hora de agir.

Barra de cereais

Barra de cereais.
Frutas.
Menos massa, menos isso e menos aquilo.
Bah!
Não me tirem a cerveja de todo.

Talento no lixo

Na tela um rosto bonito consegue pegar em armas.
Algo de errado mostra os contrastes.
Loura, linda e tiros pra todo lado.
Talento no lixo.
Espero ainda vê-la noutro filme.

Dance pra mim

Bonito seu vestido vermelho.
Seu colar de pérolas parece ter vindo por encomenda.
Gosto de seu sorriso.
Mas não se apavore, aguarde um pouco mais.
Roma não foi construída em um dia.
Seu sorriso transmite segurança,
algo assim de bem consigo.
Sorria,
sinta a música linda e
dance pra mim.

Solte-se

Solte-se.
Não fique preso às reclamações.
Siga o vento.

segunda-feira, 12 de março de 2012

As respostas da poesia

"Alcaçuz e Anis", meu primeiro livro publicado, está completando quatro anos.
Nada de mais.
Meu editor uma vez, num tom animador, perguntou-me porque eu não publicava um livro de autoajuda, já que eu gosto tanto de escrever. Tem base!
Poesia não vende.
Ouço isso a vida toda.
Não vende mas provoca respostas que marcam por toda a vida.
Todo poeta é um provocador.
Ele provoca respostas nos leitores.
Quando o leitor gosta muito de um poema ele guarda a resposta que aquele poema lhe causou num cantinho e não mais esquece.
Num belo dia, por um motivo qualquer, ele lembra daquele poema e faz um comentário.
O ego do poeta é massageado.
Isso não precisa preço.
É de muito valor.